Loading...

terça-feira, 26 de abril de 2011

Trecho do livro revela... A INFÂNCIA DE UMA CRIANÇA FAVELADA PERDIDA NOS FAROIS DA VIDA


Aos doze anos, quando pedia trocados em um cruzamento próximo a favela, uma situação mexeu com ele profundamente. O semáforo fechou e alguns carros pararam em respeito ao sinal vermelho. Ele então se aproximou de uma BMW que aguardava o sinal abrir. Os vidros estavam baixados e no banco de trás uma criança, muito provavelmente o filho do motorista, ficou olhando ele pela janela. Coca ficou parado em frente à criança admirando a forma como ela se vestia. Ao ver aquilo, o motorista acionou o botão de controle dos vidros elétricos e antes mesmo que ele conseguisse pedir alguma coisa, o vidro automático do veículo lentamente foi subindo, porém à medida que o vidro subia, a imagem daquela linda criança no interior do automóvel era substituída pelo reflexo de uma criança pobre e mal trapilha, parada diante daquele carro luxuoso que partiu antes mesmo do sinal abrir e sem ao menos deixar-lhe um único centavo.
Coca voltou-se para calçada onde se encontravam outros garotos, sentou-se e ficou tentando decifrar aquele estranho sentimento que tomava conta dele naquele momento. Embora não compreendesse o que havia acontecido, a frustração de ser um garoto pobre havia tomado conta dele e começava ali uma revolta contra o sistema que divide as classes sociais.
       Naquela tarde ele não pediu mais trocados naquele semáforo. Estranhamente sentia-se envergonhado e sem disposição para tal coisa. Após algumas horas resistindo à generosidade de alguns colegas que cheiravam cola no mesmo local e lhe ofereciam a droga com a justificativa que aquilo iria fazê-lo ficar numa boa, ele retornou para a favela com menos dinheiro do que habitualmente conseguia. No pequeno percurso até seu barraco tentava afastar a imagem daquele vidro se fechando e revelando a sua verdadeira realidade. Tentava imaginar outras coisas que não fossem a cena de seu pai chegando bêbado e machucado em casa e de sua mãe desesperada sem ter nada para dar para ele e os seus irmãos comerem.
      Lentamente um sentimento de revolta ia crescendo dentro daquela pobre criança, que se sentia confusa tentando descobrir o que estava acontecendo com ela...

4 comentários:

  1. Nilson, sucesso p/ você.

    Abraços.

    Visita o CAIXA DE FATOS

    Dadi Silveira

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Obrigaduuuu. DAdi
    Tamo aí NATIVIDADE
    Vou seguir você também
    um abraço

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo relato,muito forte e qd envolve uma criança tudo fica mais emocionante.
    Na verdade é a realidade de muitas favelas,e o pior de tudo é a descriminação.
    Comecei a escrever recentemente,te espero la no meu blog,um blog simples mais com muito amor.
    Xau e boa sorte no livro.

    ResponderExcluir